Mercedes AMG E43 x BMW 540i x Audi A6 x Jaguar XFS x Cadillac

Estes cinco sedãs esportivos procuram oferecer equilíbrio entre refinamento a bordo e competência para acelerar. E, claro,são uma bela alternativa aos SUVs

Fotos: Marc Urbano | Texto: Tony Quiroga

Os SUVs vêm roubando o mercado dos sedãs médios há anos, mas ainda que estes modelos tenham vendido menos que a metade de seus equivalentes SUV, os três-volumes de luxo ainda não estão mortos. Mas, pelo sim, pelo não, antes que os sedãs de quatro portas deixem de existir, decidimos investigar a proliferação de modelos de seis cilindros com turbo ou compressor no segmento de sedãs médios premium. Muito mais esportivos que um SUV, esses carros idealmente combinam clima luxuoso com a dinâmica de um esportivo na forma de um carro perfeito para uso diário. A vitória neste teste se resume ao quanto um carro equilibra cada lado desta balança.

 

Dos oito candidatos que atenderiam aos nossos critérios para este comparativo, selecionamos cinco deles, a maioria vendida no Brasil. O Cadillac CTS V-Sport é o único modelo que ainda não é trazido oficialmente. A GM, dona da marca, chegou a cogitar sua vinda há alguns anos, quando a economia vivia momentos de prosperidade. Mas, mesmo naquela época, a conta não fechava. E o assunto foi arquivado.

 
Dos cinco, o mais novo é o Mercedes-AMG E43 4Matic, de 401 cv. Baseado no novo Classe E, o E43 ocupa a linha divisória entre o E300 2.0 turbo de 244 cv e o E63 S V8 biturbo de 611 cv. Um E43 parte de US$ 73.325 nos EUA, mas o preço do nosso carro chega aos US$ 91.175. Deste total poderíamos eliminar facilmente US$ 7.830 dispensando a pintura vermelha Cardinal Red opcional, o acabamento metálico do interior, detalhes em preto no exterior, os bancos dianteiros ventilados, o volante AMG e o sistema de áudio Burmester. Nenhum destes opcionais altera a experiência de condução.

 
Na outra ponta da escala de preços está o Audi A6 3.0T quattro. Imbatível em seus dois testes comparativos anteriores, o A6 passou pela renovação de meio-ciclo em 2016, que lhe deu nova aparência na dianteira e na traseira, compatibilidade com Apple CarPlay e wifi de bordo. A novidade é o pacote Competition, que traz suspensão esportiva, diferencial traseiro com vetorização de torque, rodas e pneus do S6 e 7 cv a mais em seu V6 sobrealimentado (chegando a 345 cv) e a aparência interna e externa do S6. Embora o A6 esteja começando a sentir sua idade, com a ausência do S6 o Audi é o carro mais barato deste comparativo: US$ 72.175.

 Sedãs


Um teste deste segmento não seria completo sem um BMW Série 5. Renovado para 2017, a sétima geração do Série 5 é identificada pelo código G30 e, na versão 540i, traz o mais recente seis-em-linha da BMW, o B58 turbo de 340 cv. O preço inicial do 540i é o mais baixo do grupo (US$ 57.445), mas ao empilhar pacotes e opcionais individuais o preço começa a inflar até chegar aos US$ 82.610 do modelo testado. Tal como no Mercedes, é fácil reduzir o preço do BMW deixando de lado opcionais como o sistema de áudio Bowers & Wilkins, de US$ 4.200, o sistema de estacionamento por controle remoto de US$ 750, e o sistema de fechamento automático das portas de US$ 600, entre outros. Também economizaríamos US$ 190 cobrados pelo sistema de gestos que permite acenar para o painel de instrumentos para ajustar o volume.

 
Redesenhado no ano passado, o Jaguar XF está em seu primeiro comparativo. A segunda geração do XF vai além de uma mera evolução de seu antecessor, mas é sua estrutura inteira de alumínio que se destaca nesse segmento. Só achamos estranho que o uso deliberado de alumínio não tenha se estendido às portas e à tampa do porta-malas, feitas de aço. Sob o capô há um V6 3.0 sobrealimentado por um compressor de polia que é praticamente o V8 da marca sem um par de pistões. Para ser competitivo a Jaguar nos enviou o XF S com tração integral. Nesta versão S, a potência do V6 vai de 340 para 380 cv. Completo nosso XF S custa US$ 77.535.

 
Por último, uma comparação justa neste segmento precisa incluir o Cadillac CTS V-Sport. Vencedor do Ten Best deste ano nos EUA e o carro mais potente do grupo com um V6 3.6 biturbo de 426 cv, o Cadillac tem comportamento dinâmico afiado como uma lâmina. Para deixá-lo equipado como os concorrentes e com o preço na mesma faixa, optamos pela versão Premium, que parte de US$ 71.790. Some a isso os US$ 3.000 do pacote Carbon Black, que inclui bancos Recaro e rodas pretas, além de outros opcionais, e o preço chega aos US$ 75.885.


Com os cinco sedãs na garagem e sem destino definido, decidimos partir em direção à calorosa Palm Springs, na Califórnia, para testá-los nas montanhas que circundam a cidade. Depois de quase 1.500 km rodados.


Quer ver o resultado da batalha entre esses cinco sedãs? Então garanta já a sua Car and Driver 114 sem sair de casa → http://bit.ly/2tdwMDQ

Compartilhe esse conteúdo



Comentários